Visão Astral

//Visão Astral

Visão Astral

No corpo físico nós temos 220 graus de visão, isto é, nós podemos ver apenas em frente a nós, mas não atrás, para cima e para baixo ao mesmo tempo. No corpo astral nós temos mais que 360 graus de visão e podemos enxergar em todos os lados de uma vez. Esta é a visão esférica. Durante a projeção, o hábito nos força a prestar atenção a uma direção apenas, onde nós achamos que a parte frontal da nossa visão está.

Entretanto, a visão de trás, de cima, de baixo, da esquerda e da direita continuam lá e são vistas todas de uma vez, mas elas não conseguem ser assimiladas pela mente, todas de uma vez. Isto vai contra o hábito de muito tempo da visão frontal da mente. A visão esférica é como ser um enorme olho multifacetado que pode enxergar em todas as direções, para cima, para baixo, à esquerda, à direita, em frente, atrás, mas todas ao mesmo tempo.

No corpo astral você não tem órgãos físicos, por exemplo, olhos. Você é um ponto de consciência não físico flutuando no espaço. Você também não é afetado pela gravidade e outras leis da Física. Nesse estado não há para cima ou para baixo, para trás ou para frente, esquerda ou direita. É apenas o hábito de muito tempo que tenta forçar esta perspectiva em você durante a projeção.

É importante entender a visão esférica, se você quiser operar competentemente no astral. É assim especialmente quando você faz projeção em tempo real, próximo à dimensão física. A visão esférica irá frequentemente fazer com que você pense que está em uma dimensão de espelhos ou em uma cópia invertida da realidade. Isto significa que sua casa, por exemplo, irá parecer estar invertida, de trás para frente. Isto é devido a você perder o seu ponto de vista natural durante a projeção.

Tudo que você vê enquanto está na dimensão astral é percebido diretamente pela mente. É algo simples para o subconsciente inverter ou girar, toda, ou mesmo uma parte da sua percepção consciente da realidade durante a projeção.

Excelente dia!

Dani

 

Print Friendly, PDF & Email
2017-03-18T19:08:24+00:0016 outubro 2013|Categorias: Reflexões|Tags: , |

About the Author: