3 atitudes que vão mudar sua relação com o dinheiro

//3 atitudes que vão mudar sua relação com o dinheiro

3 atitudes que vão mudar sua relação com o dinheiro

O que você pensa quando escuta alguém falar sobre as pessoas de sucesso?

Para muitos o que vem à cabeça é a imagem de muito dinheiro, viagens, festas, fama… certo?
Dinheiro como condição do seu sucesso. Será que é isso mesmo?

Para buscar o sucesso financeiro, você primeiro precisa entender sobre a psicologia do dinheiro, como ela funciona e quais são suas crenças relacionadas a isso.

Uma das grandes crenças que limitam as pessoas de terem independência financeira é elas acharem que o dinheiro é algo ruim. É algo que se você tiver, você vai estar tirando dos outros.
Você cresce achando que os ricos são pessoas ruins, mesquinhas, infelizes… e qual a consequência? Você inconscientemente foge disso.

Mas isso definitivamente não é verdade. Tenho o grande prazer de ter mentores e contato com pessoas de extremo sucesso mundo a fora e 100% delas estão envolvidas com uma causa maior.
Elas estão sim preocupadas em ganhar dinheiro, mas o dinheiro é o meio (nunca o fim) para conseguirem algo maior e realmente impactarem muito mais vidas.

Quanto mais eu estudo e aprendo sobre empreendedorismo, mais eu confirmo o quanto essa ideia é real:
Quanto mais dinheiro nós temos, mais vidas nós podemos mudar, mais nós podemos fazer para ajudar os outros e mais experiências podemos compartilhar.

Se você é alguém que não sabe por que está numa situação complicada com dinheiro, seja crítico com você mesmo… se pergunte o que está acontecendo, quais são suas crenças, em que mentiras você tem acreditado que te levaram pro estado atual?

Se você almeja o sucesso – aquele que lhe coloca num patamar de qualidade de vida e produtividade – veja abaixo as 3 atitudes para você começar a sua mudança:

Muitas pessoas, mesmo sem saber, sofrem com bloqueios mentais: “Dinheiro não nasce em árvore”, “Os ricos são corruptos e desonestos”. Isso muitas vezes vem da sua infância, de uma fala descontraída de alguém da sua família… e isso causou um pane no seu cérebro e te gerou esse bloqueio.

Se você é uma dessas pessoas, entender essas besteiras vai te ajudar a fazer muito mais dinheiro.

Outro bloqueio comum é “Como posso ter bastante dinheiro sendo que existem muitas pessoas passando fome? Não é justo, Goffi!”

Eu arrisco a dizer que, se você tem esse bloqueio, você está sendo mais egoísta por não buscar muito dinheiro do que o fazendo. Quantas pessoas você pode ajudar no momento? E quanto mais você poderia fazer se tivesse mais recursos?

A questão é simplesmente o que você faz com o dinheiro.

Mesmo o lifestyle caro de alguém pode beneficiar, e muito, outras pessoas se isso fizer parte da sua motivação diária. Ter luxos não faz de ninguém uma pessoa má ou egoísta. Se esse é mais um incentivo para aqueles que tem sucesso e dinheiro, e os motivam a fazer cada vez mais, a ajudar os outros e criar mais oportunidades, esse lifestyle se torna muito positivo.

Tenho certeza que você já pensou um dia… “Nossa, se eu tivesse toda a grana desse cara eu faria tal coisa para ajudar as pessoas”. Pois então, faça! Pare de imaginar e comece a fazer. Sonhe, faça planos e parta pra ação.

Entender e superar essas bloqueios vai te dar um gás, mas no longo prazo isso não é suficiente. Se você quer realmente fazer as coisas acontecerem, você precisa amar o que faz. E isso me leva a próxima atitude…

 

Há dois tipos de pessoas: as que fazem as coisas pensando em fazer dinheiro – elas não se importam muito com o que estão fazendo, fazem o que dá dinheiro – e as que querem fazer dinheiro porque amam o que fazem e o dinheiro permite elas fazerem mais disso.

Por isso é tão importante você gostar realmente do que faz. Invista em qualidade e não em quantidade, números não fazem negócio algum crescer se não tiver paixão e fidelidade. Demonstre esse amor em tudo que você fizer. Seja no seu produto, com seu cliente, numa mão de poker

Tem uma frase do Walt Disney que gosto muito e ilustra esse pensamento:
Nós não fazemos filmes para fazer dinheiro, nós fazemos dinheiro para fazer mais filmes” ~ Walt Disney

Se você decidiu ser um profissional de poker, pare de pensar nos resultados imediatos e mude sua perspectiva. Não faça isso apenas pelo dinheiro que você pode ganhar, faça pensando em algo maior que você e o dinheiro. Pense nas experiências que você vai poder viver, por exemplo, isso vai te ajudar a lidar muito melhor com as swings financeiras e aproveitar mais o percurso.

 

As pessoas de sucesso são ótimas em escutar, entender e ajudar os outros a alcançarem seus objetivos. Elas sabem que o sucesso delas depende basicamente do sucesso das pessoas que estão à sua volta.

Quanto mais pessoas você ajuda, mais e melhores serão os seus feedbacks, maiores suas oportunidades de crescer seus produtos ou serviços. Quanto mais você cresce, mais pessoas tem que contratar e mais você se beneficia da experiência e habilidade delas.

Por isso as pessoas de sucesso trabalham duro para fazer outras pessoas terem sucesso, porque elas sabem que o sucesso delas vai acompanhar isso. Fora, claro, o orgulho e satisfação por ter terem ajudado outras pessoas a crescerem também.

Sirva muito bem as pessoas e o dinheiro vai vir. Ganhe dinheiro fazendo outras pessoas subirem com você, esse é o maior propósito de ter muito dinheiro.

Perguntaram para o Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, do que ele mais se orgulhava em toda sua jornada e ele respondeu:
“Eu pude enriquecer centenas e centenas de pessoas ao longo do caminho”.

 

 



Print Friendly, PDF & Email
2017-03-18T21:49:53+00:0012 junho 2015|Categorias: Reflexões|Tags: |

About the Author:

Olá, meu nome é Fernanda, mas me chamam de Nanda, Fê, Fer, etc.. fique à vontade! Tenho 48 anos, nasci e moro em São Paulo. Sou espiritualista e procuro retirar o melhor que cada religião tem a oferecer. Trabalho numa fraternidade espírita há muitos anos. E com o passar do tempo, as pessoas começaram a me procurar para conversarem, desabafar, falar sobre seus problemas. De alguma forma inspirava confiança nelas. Paralelamente fui me aperfeiçoando nas Terapias Holísticas. Minha mediunidade é a intuição. Minha mentora direta é Nahira e a cigana que me acompanha é Lia. Elas estão sempre por perto me orientando e ajudando quando preciso ouvir e aconselhar alguém. Muitas vezes eu mesma me surpreendo com as palavras que falo. Fora elas temos os mentores da Fraternidade que orientam nosso trabalho, pois independente de qualquer coisa, nosso maior desejo é que as pessoas realmente descubram a força que têm dentro de si mesmas.